Refluxo no bebê: o que fazer?

Seu bebê sofre com refluxo? Veja as causas e o que fazer para melhorar o refluxo no bebê.

Seu filho mama e assim que acaba, coloca o leite para fora. Alguns bebês sofrem muito com isso, o que preocupa muitas mamães e papais.

Veja o que é considerado normal e quando se preocupar com a situação.

Como ocorre o refluxo?

O refluxo no bebê é semelhante ao que muitas grávidas passam durante a gestação, que causa aquela sensação de azia ou queimação. Que é muito ruim por sinal, não é mesmo? Nas mamães ele é causado pelo aumento do útero que acaba pressionando uma válvula que permite a passagem de alimento de um órgão a outro.

Essa válvula é chamada de esfíncter do esôfago. O refluxo ocorre, porque a válvula que vai do esôfago ao estômago fica muita relaxa ou não funciona corretamente, permitindo que os alimentos e os sucos gástricos voltem do estômago para o esôfago e depois à boca.

A posição em que seu filho se alimenta também pode influenciar. Entre o quarto e o sexto mês o refluxo no bebê é mais comum, pelo fato de se alimentarem de líquidos e se movimentarem bastante.

Mas fique tranquila! Apenas 40% dos bebês apresentam esse problema, e apenas 5% dos casos se torna um problema sério. À medida em que a criança começa a ingerir alimentos sólidos e o aparelho digestivo do bebê amadurece (no decorrer do primeiro ano de vida), esse desconforto melhora.

Leia sobre introdução de sólidos na alimentação do bebê.

Regurgitar é normal?

Seu bebê pode regurgitar ou golfar um pouquinho de leite após a mamada. Vez ou outra ele pode vomitar sem nenhuma causa aparente. Isso é considerado normal, pelos pediatras, em crianças de até um ano de idade.

No entanto, você deve observar se esse vômito vem acompanhado de outro sintoma ou se acontece com muita frequência. Tanto crianças que mamam leite materno quanto as que se alimentam com a fórmula láctea podem regurgitar ou desenvolver o refluxo.

Ao arrumar a bolsa do seu bebê, coloque várias fraldinhas de boca para limpa-lo. Outro item que não pode faltar, são lenços umedecidos extras que serão uteis para limpar você mesma e seu filho, caso você não tenha como dar um banho rápido nele.

Como o cheiro que fica na roupa é muito desagradável, uma dica muito útil para caso aconteça um acidente, é colocar na bolsa uma troca de blusa para você. Por isso tenha uma bolsa maternidade com várias repartições.

Quando devo me preocupar?

Procure o pediatra com urgência se perceber que:

  • seu filho não ganhar peso;
  • chorar muito depois de cada mamada;
  • vomitar com muita frequência;
  • tossir muito sem estar resfriadinho;
  • recusar o leite ou ficar bastante agitado na hora de mamar.

Em caso de suspeita de refluxo no bebê anote tudo que tem observado, pois apenas com os sintomas o médico pode fazer um diagnóstico clínico e lhe orientar. Se for necessário ele pedirá exames específicos para constatar as causas.

Como melhorar o refluxo no bebê?

Medidas simples podem ser adotadas e melhorarem consideravelmente o quadro:

  • Manter o bebê em postura ereta por vinte minutos após mamar;
  • elevar um pouquinho a cabeceira do berço;
  • oferecer o leite mais vezes em menores quantidades (pois alguns casos pode ser apenas excesso de leite ingerido);
  • eliminar leite de vaca e derivados da dieta da mamãe. Pois, o refluxo pode ser sintoma de alguma alergia à proteínas presentes na bebida.

Somente em situações graves, o pediatra irá receitar remédios antirrefluxo e antiácidos ou encaminhar para um gastroenterologista. Nunca dê qualquer medicamento por conta própria, procure um médico de sua confiança.

Estes tratamentos serão realizados apenas se o refluxo atrapalhar a vida do seu filho. Ainda tem dúvidas sobre o assunto ou você já passou por essa experiência? Deixe seu comentário

Não esqueça de compartilhar e curtir o texto e nossas redes sociais. Inscreva-se em nossa lista de e-mail para receber conteúdo exclusivo e promoções da nossa loja.

 

Comentarios