Síndrome de Down

Veja quais são as causas e conheça mais sobre a Síndrome de Down.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

No dia 21/03 é comemorado o dia internacional da Síndrome de Down. A data foi escolhida por uma equipe de geneticistas dos Estados Unidos para fazer referência aos 03 cromossomos presentes no par 21, característico de pessoas com esta síndrome.

Então, para que você saiba mais do assunto, leia o texto na integra em nosso blog.

O que é a síndrome de Down?

É uma alteração genética que ocorre no momento da concepção e/ou na multiplicação celular que acontece bem no comecinho da gestação.

Cada um de nós possui 46 cromossomos que armazenam os genes no núcleo das células.  No entanto, os óvulos e os espermatozoides, conhecidos como gametas ou células germinativas possuem menos cromossomos.

Essa diminuição se dá, pois ao se juntarem no momento da fecundação, darão inicio a um processo em que no final a criança gerada terá os quarenta e seis cromossomos.

Na síndrome de Down um terceiro cromossomo aparece no par cromossômico 21, quando deveria ter um par apenas em cada um.

O que provoca a síndrome de Down?

Não se sabe explicar, por que esse terceiro cromossomo se infiltra e ele pode vir dos progenitores devido as alterações em seus genes.

Foi observado que a idade da mulher pode aumentar a probabilidade do bebê ter down, todavia não há como especificar a causa, classificar riscos e podem acontecer com qualquer pessoa independente de histórico familiar, etnias, classes e hábitos.

Também não há como prevenir que isso ocorra antes ou durante a gestação.

Existem três tipos genéticos de síndrome de down, mas não são possíveis de diferenciá-las com um exame clínico.

Sinais mais comuns

Os indivíduos possuem características específicas desde que nascem, mas pode ocorrer variações dependendo do caso. Os músculos e as articulações dos bebês que nascem com síndrome de down são menos tonificados .

A pele é mais flácida, principalmente no pescoço. Podem nascer com peso abaixo da média e ganhá-lo de forma mais lenta.

As pessoas com Down tem os olhos levemente puxados para cima, nas pálpebras mais dobra de pele, a cabeça pode ser mais achatada, as orelhas são um pouco mais baixas e os polegares têm algumas características especiais.

Muitos bebês têm uma linha única que atravessa a palma da mão na horizontal e os médicos verificam as mãos do recém-nascido para identificar a possibilidade da síndrome. Mas nem sempre a presença de uma única linha significa que o bebê possua down.

Alguns apresentam dificuldade para mamar no inicio, pois tem dificuldade em executar os movimentos necessários na amamentação (sugar e engolir). É importante, que se isso acontecer, você não pare de estimular a produção de leite.

Lembre-se que quando mais leite é tirado, maior é a quantidade produzida. Por isso use uma bomba de extração de leite.

 

 

 

 

 

 

 

O leite pode ser tanto armazenado em potinhos próprios e limpos (COLOCAR LINK), quanto doado para bancos de leite e maternidades  de sua cidade.

 

 

 

 

 

 

 

Se o seu bebê tiver Down ele pode demorar um pouco mais para engatinhar, andar e falar comparado a bebês que não tem.

Ela pode acarretar problemas de saúde?

Crianças que tem down , tem maior tendência para infecções respiratórias. Problemas cardíacos são bem comuns (proporção de uma a cada três crianças), por isso quanto antes diagnosticada, melhor.

Leia também sobre a importância do teste do pezinho.

Outros problemas de saúde: obesidade, diabetes, hipotireoidismo e alterações no sangue.

Porém, mesmo seu filho tendo a síndrome ele poderá ter uma vida longa e realizar seus objetivos, basta que ele tenha oportunidade de se tornar independente e colocar em prática sua habilidades

 

Muitas pessoas com Down trabalham, estudam e formam famílias. Existe algumas séries interessantes sobre casos que os acometidos por essa alteração genética, levam vidas sem nenhuma privação.

Hoje em dia, cada vez mais são elaboradas iniciativas de inclusão de pessoas com síndrome de down. Uma característica maravilhosa, entre tantas, é que as pessoas com down, possuem UMA AFETIVIDADE E SENSIBILIDADE elevada. O que as torna ainda mais adoráveis.

 

Procure entidades que ofereçam ajuda aos portadores desta síndrome em sua cidade, isso ajuda no desenvolvimento e na integração com outros portadores da mesma. Além claro de não privar seu filho da convivência com crianças que possuam down, pois como sempre ouvimos falar – ser diferente é normal!

 

Leia outras matérias em nosso blog dos mais variado assuntos sobre o universo da maternidade. Além de nos seguir nas redes sociais, curtir e compartilhar o conteúdo que achar relevante.

Comentarios