Aborto espontâneo

O aborto espontâneo é mais comum do que se pensa. Saiba causas, sintomas e quando poderá tentar engravidar de novo.

Aborto espontâneo é um assunto difícil de se tratar e muitas vezes ninguém se interessa em saber mais, até que passe por essa triste situação. Mas saiba que é mais comum do que se pensa.

Apesar de se ter um número exato, estima-se que cerca de 20% das gestações são interrompidas antes das 20 semanas. Isso das gravidezes que são registradas, fora casos que o aborto ocorre antes mesmo da mulher descobrir que está grávida.

Se você tem interesse em saber as causas, os sintomas grupos de risco e quando poderá tentar novamente, confira.

Leia também o que fazer antes de engravidar, clicando aqui.

Causas

Como eles ocorrem, normalmente, no inicio da gestação, é bem difícil especificar o que tenha causado. Mas é provável que metade é causado por má formações e anormalidades que impendem o desenvolvimento do feto.

Quando o aborto espontâneo acontece depois da 20ª semana, a maior parte das causas são infecções ou alterações uterinas, além de alterações na placenta ou o colo do útero não consegue se manter fechado até o fim da gestação (chamada de insuficiência cervical).

Sintomas

Os sintomas mais comuns e mais fáceis de identificar são cólica forte e sangramento abundante com ou sem coágulos.

No inicio da gravidez, gotas de sangue na calcinha ou no papel higiênico podem acontecer, sem que indique que esteja perdendo o bebê. Porém vale ressaltar que se isso acontecer, procure seu médico para maiores orientações.

Certamente, ele pedirá para que você uma ultrassom e diagnosticar o que está acontecendo.

Tem como diminuir o risco de um aborto espontâneo?

Caso você já tenha passado por isso, numa nova gravidez é possível que o médico recomende repouso nos primeiros meses. Se a causa foi insuficiência cervical, ele poderá dar alguns pontos para fechar seu útero até que o bebê se desenvolva e esteja pronto para nascer.

Algumas pesquisas indicam que o aborto espontâneo é mais comum:

  • Idade: Mulheres após os 40 anos tem o dobro de chance.
  • Histórico: Caso tenha dois ou mais abortos ou ainda se outro filho ou alguém da família apresenta problemas congênitos ou genéticos.
  • Problemas de saúde: no colo e útero que dificultem o desenvolvimento normal da gestação. Infecções de uma forma geral. Doenças como diabetes, HIV, problemas renais e na tireoide.
  • Hábitos: O consumo de álcool, drogas e cigarro podem apresentar maiores chances. Alguns estudos estão apontando que até o consumo em excesso de café pode aumentar o risco de se perder o bebê
  • Medicamentos: Uso de medicamentos anti-inflamatórios e relaxantes.

Quanto tempo depois posso tentar engravidar de novo?

Isso é bem relativo, tudo vai depender do motivo, de como foi, com quanto tempo de gestação ocorreu, se fez curetagem e se será necessário maiores investigações para determinar a causa.

Se foi uma perda simples, no primeiro trimestre alguns médicos vão pedir apenas para você esperar que o seu ciclo menstrual normalize para reiniciar as tentativas, por volta de seis a oito semanas após o sangramento inicial que o aborto causará.

Mas o ideal é que você consulte seu médico e tudo seja levado em conta, tanto seu estado de saúde quanto emocional.

Você já passou por um aborto espontâneo ou tem mais dúvidas sobre o assunto? Deixe seu comentário nas redes sociais. Não se esqueça de curtir e compartilhar o texto.

Inscreva-se em nossa lista de e-mail e receba promoções da nossa loja.

Comentarios

Faça parte da minha lista! Saiba das novidades e ainda ganhe um presente: Um cupom de 10% de desconto para usar na nossa loja.

Barbara Bedim

Olá, eu sou a Barbara, mãe, nutricionista, apaixonada pelo mundo da maternidade, fundadora da loja virtual Empório do Bebê e Cia. Em nosso blog, as grávidas e mamães encontram um conteúdo transformador sobre esse universo da maternidade, para que a sua experiência se torne cada vez mais feliz e plena.

Website: http://emporiodobebeecia.com.br